Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



RIO ABAIXO

Quinta-feira, 11.06.09

 

 

 

 

Sigo nesta canoa, neste rio,

fio de água em movimento,

umas vezes calmo, pachorrento,

outras vezes mal amado, bravio,

mas não deixas de ser rio

fio de água, fio de vida,

que gota a gota vai crescendo,

galgando margens, ou correndo

em alegria incontida....

Quiseram te prender, "amarrar",

mas têm de te libertar,

e teu fio de vida se transformou...

És energia, outra forma de vida...

Sigo nesta canoa, neste rio,

e lá longe avisto o mar...

Ficas feliz, em delírio,

pois com ele vais "casar"...

Foste rio, serás mar,

e deste casario vais lembrar,

quando à origem quiseres voltar.

E sentirás raiva, desalento maior,

ao "rebentares" na praia, com dor...

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por Alexandrino Sousa às 10:27


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.