Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



À procura de TI

Segunda-feira, 19.10.09

 

 

Sinto mil feras dentro de mim,

seres sinistros, vomitando horror,

e estes seres me dominam,

todo o meu ser é seu festim,

e pelas  minhas mãos, espalho dor...

 

Estas feras que se escondem da luz,

morrerão aos sinais de amor,

ao brilho de meus olhos nos olhos teus,

aos beijos trocados com ardor,

aos carinhos teus nos braços meus...

 

Feras que criei em acto de loucura,

em momentos de solidão, anarquia,

transformarei em coração, doçura,

em paixão ardente no dia a dia,

em setas de cupido, em alegria...

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 19:00


4 comentários

De Breizh da Viken a 19.10.2009 às 20:53

Olá,

Engraçado... na imagem tens a minha flor preferida, a tulipa negra!

Um poema bonito...

beijo

De Alexandrino Sousa a 19.10.2009 às 21:01


Olá,
podes pensar que não, mas na vida real nunca vi tulipa daquela cor..mas deve ser muita bonita sim

Beijinhos e obrigada pelo carinho
Alex

De MissAna a 19.10.2009 às 21:45

O desejo por si muitas vezes trás intranquilidades próprias de quem o sente, faz-nos sentir inseguros o que pode trazer ciúme, mas também trás amor e a vontade enorme de partilhar sentimentos...
Beijinhos

De Alexandrino Sousa a 20.10.2009 às 19:57

Olá Ana,

Sim , tens razão, criamos "pequenos monstros" dentro de nós, quantas vezes sem sentido...
Mas o coração tem essa dualidade: sinais de loucura como de grande amor..

Beijinhos
Alex

Comentar post