Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Anjo Azul (I)

Segunda-feira, 18.01.10

 

http://static.blogstorage.hi-pi.com/photos/wsapaixonados.loveblog.com.br/images/gd/1227392901/Saber-viver-o-amor.jpg

 

Abro-te uma janela do meu ser.

O que vês? até onde consegues ver?

Se conseguires decifrar,

talvez consigas encontrar,

o que de mim quis esconder.

 

O amor... o amor... o amor...

Esse sentimento que traz dor,

a razão de ser, da partilha,

a entrega em forma de vida,

a perda na despedida.

 

Não, não procures mais,

não vás tu acordar quem dorme,

quem seu leito de frio se tomou,

e no choro aguardando sinais,

seu vale de lágrimas secou...

 

Aceita ser meu Anjo azul,

que eu invento, fantasio,

e que preenche o meu vazio

quando à noite é solidão,

e aqui escrevo, com o coração...

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 18:59


1 comentário

De mafalda-momentos a 19.01.2010 às 20:00

A solidão sempre incansável e sempre de mãos dadas na procura do amor sonhado ou perdido.

Esta solidão cansa-nos a vida! Às vezes apetece mesmo atirá-la para o fundo de um poço.

Bonito poema Alex, como sempre

Um beijinho
Mafalda

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.