Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O Trem

Terça-feira, 09.03.10

 

http://rad2008.files.wordpress.com/2008/03/metro4a.jpg

 

Na paragem em qualquer avenida,

vejo o trem que passa, suave "rodar"...

Dentro, as pessoas são peças,

são volume em catadupa,

são seres manietados,

são seres mal acordados...

E o trem as leva, o trem as trás,

e o ontem já não existe mais...

Quem vai lembrar do seu "navegar"?

O trem também ele "amarrado",

em carris "acorrentado",

não geme, apenas se ouve seu silvar.

Como eu te compreendo trem,

e invejo teu deambular...

Ninguém ousará te desencaminhar...

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 20:59


2 comentários

De Nela a 11.03.2010 às 21:52

Boa noite meu bom Amigo,

Pois é meu poeta, quem recorda de nós?!!!
Brincas com as palavras, com metáforas lindas!
Porque nós saimos da nossa trajectória "certinha" e não nos comportamos como os "trens" ?
Mas se assim não fosse, seria tudo demasiado certinho, não?!
Espero que te encontres bem meu querido Amigo
beijinhos

De Alexandrino Sousa a 17.03.2010 às 21:44

Amiga Nela,

Realmente se tudo andasse em carris a vida não tería muito sentido... e de vez em quando sempre é bom "pular" fora da cerca....

Beijos
Alex

Comentar post