Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



GOTA DE ÁGUA

Sábado, 05.01.08

 

No canto do meu sofá

Ouço a chuva caír...

Gota a gota,

Fio de água a sorrir

Caíndo de qualquer telhado...

Gota que vais crescer, “florir”,

Rio serás, ora irado,

Ora calmo, sem pressa...

 

Rio  por entre montes e vales

Beijando as margens, saltitando...

 

Como te invejo....

 

Lá longe, bem longe, te esperando

Está o mar, rugindo,

Carrancudo, frio e velho.

Num ápice, te engolirá,

E cairás num mundo infindo...

 

Foste gota,

Foste fio,

Foste rio,

Serás morte

Aventura e sorte,

Serás “pão nosso de cada dia”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 18:36

SOL

Sábado, 05.01.08

 

Chegou o Outono, o frio...

Lá fora, o vento e a chuva caíndo,

E, neste momento de melancolia,

Tu “apareces”, és o sonho lindo

Que não apago,

Esperança que vai fugindo

 

Foste “SOL” que me aquecias a alma,

LUZ que me deu VIDA,

Que ainda busco em cada jardim

Em cada esquina,

Junto ao mar nosso cúmplice...

 

O tempo te afastou de mim,

Dia após dia, longos dias...

Foste com o Verão...

Tu que me davas Vida

Amor, carinho, paixão,

Tudo se acabou...

As tardes que eram “LUZ”, viraram “noite”,

E a noite solidão...

 

Partiste...

E nem um adeus, um “até sempre”

Ficou em minha memória...

Nada disseste.

Partiste...

E eu, “coração vazio”, triste,

Busco cada lembrança, cada história,

Cada momento de “glória”

Gravado onde já nada existe.

 

Definitivamente partiste,

E contigo parte de mim...

Os sonhos viraram certezas...

O amanhã será o fim...

Não mais baladas,

Não mais juras de amor,

Não mais declarações ao vento que passa...

“SOL” que me aquecias a alma,

já não és “VIDA”, já não és nada.............................

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 18:28

PARA TI DIANA

Sábado, 05.01.08

 

 

 

Dorme bem Meu Anjo...

 

            Que se escondam as Estrelas

        Ou a noite de luar,

        Não vás Tu acordar.

 

        E, se a coberto da escuridão,

        Rondar o senhor das trevas,

        Não ousará te tocar.

 

        Meu Anjo,

 

        Que me fazes Feliz

        Porque estás Feliz...

        Que tudo faço para te ver sorrir,

        Que me fazes ser outra vez criança...

        

        E, sem querer,

        Entro nos teus jogos,

        Nas tuas birras,

        Tudo te é permitido,

        És a Princesa deste meu Reino...

 

        Como não gostar de Ti ??

        Como deixar de ouvir o “ Vú “... meigo,

        Forte, arrepiante...?

        Como passar sem teu abraço

        Terno, sem teu beijo...?

        Como passar sem Ti ?

 

        Dorme bem Meu Anjo...

 

        Amanhã é um novo dia

        E muitos, muitos dias virão...

        Hoje criança,

        Amanhã dona de outro coração.

        Mas serás sempre Meu Anjo,

        Meu Anjo de coração.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por Alexandrino Sousa às 17:50