Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



CAMINHANDO NA AREIA

Terça-feira, 15.01.08

Pela praia vazia, ventosa, húmida,

seguindo sem destino

tento ouvir a voz do vento,

tento ouvir o pensamento,

murmúrios de dentro de mim...

Tento ouvir tua voz,

e olho em redor...

Tu não estás,

mais uma vez não virás,

Apenas gaivotas em bandos na areia.

Continuo caminhando passo a passo

(já vai longa a caminhada...)

A areia húmida

se deixa pisar,

(sinto-a engolir meu andar)

Vida que vais fugindo,

anos que vão passando,

destino que está traçado

no mar põe teus olhos.

Minuto a minuto se renovando

é a força, é a beleza em cada onda.

É a morte na areia,

para logo renascer lá além.

Mar, faz-me renascer também........

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 22:04

O MEU REINO É DESTE MUNDO

Domingo, 13.01.08

 

 

Era uma vez um Rei, que vivía no seu elegante castelo, alí para as bandas do mar.

Esse Rei, cujo poder apenas se cingia ao seu castelo, tinha como hobbi admirar o que havia feito ou mandado fazer. E quanto mais admirava, mais vaidoso se tornava.

 

 

 

 

   

                    

  

Se estava frio ou a chover, deitava-se na sua poltrona, e olhava para o tecto do seu salão ( e como ele gostava de ver os "frescos" lá pintados).

Se fazía sol, ou a temperatura convidava a um passeio pelos seus famosos jardins, era vê-lo na espreguiçadeira, admirando as flores ou ouvindo o cantar dos pássaros (no início da primavera, gostava de ouvir as ondas do mar - parecía que íam chegar até sí).

 

 

 

 

Mas o nosso Rei não se sentía realizado...

Plantava árvores, para pouco tempo depois deitar abaixo, fazía canteiros com flores perfumadas mas que ao caír das pétalas, o desgostava, e logo as arrancava...

 

 

Que fazer para o Rei se sentir feliz?

 

 

Um dia por lá passou uma donzela, loura, terna, que se havía deixado levar pelas ondas do mar.

 

O nosso Rei, ao ver a beleza na donzela, logo esqueceu o seu palácio, o seu jardim, tudo o que havia plantado...aquela imagem tirou-o do sério.

Sería alguma sereia que havía dado á costa??

E se fosse apenas imaginação?? - beliscou-se...Não, é mesmo verdade

 

O Rei parecía louco...não sabía o que fazer...

 

 

E pergunta o narrador: "o que faría qualquer um de nós no lugar do Rei?"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 19:06

FUMADORES vs BEBEDORES

Sábado, 12.01.08

Antes que se tirem conclusões precipitadas, devo dizer que não tenho nada contra os fumadores...(aliás, também gosto de vez em quando, tirar uma passa).

O que me choca, e penso que muitas pessoas pensarão o mesmo, é que á luz da nova lei, é vê-los em grupinhos de 4, 5, 6 "malandros" bem juntinhos, em amena cabaqueira, saboreando quer o tempo fresquinho, quer a chuva que faz lá fora.

E então a produtividade??

E os que não são fumadores, existirá qualquer lei que os proteja quando, para aliviar o stress, quiserem tomar ar lá para fora abandonando assim o seu posto de trabalho??

Para quem estiver a ler este artigo, pense comigo:

E então os bebedores (aqueles que gostam de bebidas alcoólicas...)?? - a lei permite-lhes que peguem na sua garrafita de vinho, na sua cervejita com álcool, e vão até á varanda, até os jardins da empresa??

- penso que não...

Mas que fantochada é esta??

Mas que país de bananas é este??

Meus caros,

para quem é bebedor (que não é o meu caso), para quem gosta de ar livre (que é o meu caso), para quem sofre de stress (também é o meu caso), proponho que se criem medidas reinvidicativas, a saber:

1º - Que a lei seja revista, englobando todos os casos não previstos, e dos quais dei alguns exemplos.

2º - Que os não fumadores sejam beneficiados com benesses (tipo prémio mensal), já que o seu contributo para a produtividade, é maior.

3º - Já que trabalham mais, que a a sua idade para a reforma seja inferior á dos fumadores

4º - Que sejam brindados também nas horas de laser, por exemplo com chocolatinhos, fruta fresca, cafezinhos, etc, etc, etc........

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 16:54

ONE DAY IN YOUR LIFE

Quinta-feira, 10.01.08

Era uma vez.....

E é sempre assim que começam as histórias...histórias de encantar, histórias para adormecer..

Mas a nossa história não é de encantar, nem será para adormecer nunca, antes se tornará um conto de fadas, um livro virtual, cujas páginas folheadas uma a uma, palavra a palavra devoradas de forma insaciável, levarão até o infinito segredos jamais revelados.

 

Foste SOL, foste MAR, te tornáste Anjo e entraste na "minha cidade"...

 

Dia a dia, minuto a minuto, a cidade se recolhe e te acolhe, braços abertos, dedos estendidos, e tudo recomeça em....mais um dia na tua vida...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 23:26

GOTA DE ÁGUA

Sábado, 05.01.08

 

No canto do meu sofá

Ouço a chuva caír...

Gota a gota,

Fio de água a sorrir

Caíndo de qualquer telhado...

Gota que vais crescer, “florir”,

Rio serás, ora irado,

Ora calmo, sem pressa...

 

Rio  por entre montes e vales

Beijando as margens, saltitando...

 

Como te invejo....

 

Lá longe, bem longe, te esperando

Está o mar, rugindo,

Carrancudo, frio e velho.

Num ápice, te engolirá,

E cairás num mundo infindo...

 

Foste gota,

Foste fio,

Foste rio,

Serás morte

Aventura e sorte,

Serás “pão nosso de cada dia”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 18:36

SOL

Sábado, 05.01.08

 

Chegou o Outono, o frio...

Lá fora, o vento e a chuva caíndo,

E, neste momento de melancolia,

Tu “apareces”, és o sonho lindo

Que não apago,

Esperança que vai fugindo

 

Foste “SOL” que me aquecias a alma,

LUZ que me deu VIDA,

Que ainda busco em cada jardim

Em cada esquina,

Junto ao mar nosso cúmplice...

 

O tempo te afastou de mim,

Dia após dia, longos dias...

Foste com o Verão...

Tu que me davas Vida

Amor, carinho, paixão,

Tudo se acabou...

As tardes que eram “LUZ”, viraram “noite”,

E a noite solidão...

 

Partiste...

E nem um adeus, um “até sempre”

Ficou em minha memória...

Nada disseste.

Partiste...

E eu, “coração vazio”, triste,

Busco cada lembrança, cada história,

Cada momento de “glória”

Gravado onde já nada existe.

 

Definitivamente partiste,

E contigo parte de mim...

Os sonhos viraram certezas...

O amanhã será o fim...

Não mais baladas,

Não mais juras de amor,

Não mais declarações ao vento que passa...

“SOL” que me aquecias a alma,

já não és “VIDA”, já não és nada.............................

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 18:28

PARA TI DIANA

Sábado, 05.01.08

 

 

 

Dorme bem Meu Anjo...

 

            Que se escondam as Estrelas

        Ou a noite de luar,

        Não vás Tu acordar.

 

        E, se a coberto da escuridão,

        Rondar o senhor das trevas,

        Não ousará te tocar.

 

        Meu Anjo,

 

        Que me fazes Feliz

        Porque estás Feliz...

        Que tudo faço para te ver sorrir,

        Que me fazes ser outra vez criança...

        

        E, sem querer,

        Entro nos teus jogos,

        Nas tuas birras,

        Tudo te é permitido,

        És a Princesa deste meu Reino...

 

        Como não gostar de Ti ??

        Como deixar de ouvir o “ Vú “... meigo,

        Forte, arrepiante...?

        Como passar sem teu abraço

        Terno, sem teu beijo...?

        Como passar sem Ti ?

 

        Dorme bem Meu Anjo...

 

        Amanhã é um novo dia

        E muitos, muitos dias virão...

        Hoje criança,

        Amanhã dona de outro coração.

        Mas serás sempre Meu Anjo,

        Meu Anjo de coração.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por Alexandrino Sousa às 17:50

AUTO RETRATO

Quinta-feira, 03.01.08

                                                                                                                                 

                                 

Auto retrato

 

 

Olho para o espelho

E o que vejo ??

“mil anos” passaram

e te curvaram...

os cabelos rareando,

as rugas te marcando...

Mas teu olhar...

Sim, teu olhar permanece

Calmo, doce, azul...

E se teu corpo padece,

Teu coração continua “fool” !

 

Amas, há como tu amas

Loucamente...

Te entregas quantas vezes

Precocemente...

 

Olho para o espelho

E o que vejo ??

 

Não sei se tenha pena

Ou se siga em frente...

Se com minha mão

Rude, carente,

Qual golpe fulminante

Em mil cacos te transforme...

 

Espelho meu, espelho meu,

Para quem sorri, e te fiz “falante”,

Qual acto de magia

Me “deforma”,

Se possível me molda

Á imagem que guardo dentro de mim...

Imagem sem tempo,

Imagem sem fim....

                         

                                                                                                                                                                   

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 22:22

BRINCAR COM PALAVRAS...........

Quinta-feira, 03.01.08

Quería ter o dom dos POETAS,

quería em meia dúzia de palavras, escrever que por vezes não conseguimos dizer, quería poder tocar, abraçar, sendo que as letras, uma a uma, colocadas no sítio certo, com a rima que lhe queremos dar, o faríam por mim...

 

Mas não tenho esse dom, e brincando com as palavras, escrevo o que sinto, ainda que possa ser acusado de tonto........

 

 

CONFIDÊNCIAS

   

Sento-me ao piano

(piano de fantasia)

e componho a “música”

que te dedicaria...

 

Tecla a tecla, sem engano,

Com docura  ou energia,

Sai letra a letra,

Componho uma canção,

Faço de Ti a “melodia”

 

Tu és canção de Amor,

Tu és um Hino, fervor,

Tu és loucura, quantas vezes ...Dor...

 

Tecla a tecla sem engano,

Continuo soltando

As letras que vou cantando,

Continuo procurando

Tocar,

O que nunca te consegui falar...

 

Tecla a tecla sem engano,

(teclas de imaginação),

te escrevo,

queria te contar,

precisava te falar,

abrir meu coração....

 

FLÔR

 

 

 

No meu “jardim”,

Esse canto só meu

E onde ninguém entra,

Nasceu uma “Flôr”.

Flôr linda, ainda em botão,

Que eu cuido com carinho, com Amor.

 

Dia a dia te admiro,

Dia a dia te vejo crescer.

 

“vento”, que corres frio, agreste,

não lhe toques...deixa-a viver.

 

“Sol”, que tens o dom da vida, da esperança,

ternamente a beija,

dá-lhe côr, pujança.

 

Flôr do meu jardim,

Flôr que não plantei,

Pétalas que nunca arrancarei

E tão pouco cortarei.

 

Flôr que és Vida

E cresceste no meu jardim,

Tu me pertences...

Já fazes parte de mim!

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 21:14

1º de 366 dias

Terça-feira, 01.01.08

Meia Noite

 

Zero horas no relógio, e cumpre-se o ritual da abertura da garrafa de espumante (não há dinheiro para champanhe). Quantos desejos formulados?? Quantos pedidos em silêncio??

 

Amigos e familiares já ligaram, retibuindo mensagens de Bom Ano...Haver vamos...

 

"Bebés"

 

 

 

Os meus "bebés", caezinhos com 6 dias, parecem de boa saúde. Ainda não consegui nome apropriado para minha cadelinha...

 

1ª tarde do 1º dia

 

Que tarde de inverno...A chuva e o vento lá fora, trazem-me recordações tristes... Da folia de ontem nas ruas, sobrou o "deserto", não se vê "vivalma".

 

1º dia de trabalho no novo ano

 

E lá vamos começar de novo...As mesmas tarefas, a mesma rotina de sempre, o cinzentismo em 8 horas que se pretendem coloridas...Falta de motivação?? Ausência de motivadores?? Penso que o "deixa andar" se estar a tornar "lei", e o brio, o gosto pelo fazer bem, caem em desuso tal qual valor que passou de moda...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 17:31


Pág. 2/2