Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Carta Perfumada

Quarta-feira, 08.06.11

Abre esta carta,

perfumada,

sem uma letra,

sem um sinal...

Depois, inventa,

tenta descobrir,

ou experimenta

o que eu poderia dizer,

se fosse escrever,

sem mentir...

Dentro dessa carta,

perfumada,

está bem guardada,

a sete chaves fechada,

a razão do meu sorrir.

Consegues descobrir??

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 21:32


2 comentários

De sonhardenovo a 10.06.2011 às 23:35

Caro amigo Alex,

Como está? Como tens andado?
Pelo que vejo, não perdes-te esse teu jeito tão próprio e delicado de escrever poemas... Continuas a escrever versos bonitos...

É uma carta de Amor! E todas as cartas de Amor são ridículas... o Amor é ridículo...

Beijinhos =) Espero que estejas bem! =)

De Alexandrino Sousa a 12.06.2011 às 20:04


Olá Sandra, quanto gosto em te ter por aqui

Tu sabes que basta uma frase, uma imagem para me servir de tema..Cartas perfumadas foram muito usadas no passado e sim deveriam ser cartas de amor, como serão hoje as mensagens no telemóvel, no facebook ou no twitter. Mudam-se os tempos...
Mas me pareces algo contrariada com o tema...Nem sempre nos corre bem a vida sentimental, mas para quê correr se a vida tem tanto tempo para nos dar o que merecemos? Não digas que o amor é ridículo. O sentimento "amor" é lindo, nós é que ficamos ridículos com as figurinhas que fazemos quando apaixonados
Como sempre fico muito feliz com tua presença e tu sabes o quanto gosto de "falar" contigo. Se precisares de desabafar mais, sabes onde encontrar o e-mail
E teus estudos? deves estar a entrar em exames...vai dando notícias

Beijinhos
Alex

Comentar post