Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Inquietação

Domingo, 17.07.11

 

Abro minhas mãos ao vento

como se novas viessem de ti,

mas o vento não tem tempo,

e ao passar por mim...ri...

 

Ao sol abro meu coração

esperando por teu amor,

mas não traz carta ou canção

que alivie minha dor...

 

À chuva que copiosamente cai

pergunto onde te abrigas,

mas nada diz, e na levada se esvai

todos os sonhos, rasgos de dor...sem feridas.. 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 22:09


Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.