Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



GOTA DE ÁGUA

Sábado, 05.01.08

 

No canto do meu sofá

Ouço a chuva caír...

Gota a gota,

Fio de água a sorrir

Caíndo de qualquer telhado...

Gota que vais crescer, “florir”,

Rio serás, ora irado,

Ora calmo, sem pressa...

 

Rio  por entre montes e vales

Beijando as margens, saltitando...

 

Como te invejo....

 

Lá longe, bem longe, te esperando

Está o mar, rugindo,

Carrancudo, frio e velho.

Num ápice, te engolirá,

E cairás num mundo infindo...

 

Foste gota,

Foste fio,

Foste rio,

Serás morte

Aventura e sorte,

Serás “pão nosso de cada dia”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 18:36


9 comentários

De azevedo a 06.01.2008 às 14:52

não há duvida, andas no trabalho errado

De azevedo a 06.01.2008 às 15:04

Operadora de caixa fica famosa com blog em França

Uma jovem francesa ficou famosa graças a um blog no qual narra a sua experiência como operadora de caixa de um supermercado da periferia de Rennes (oeste).
Nos últimos dias, Anna Sam passou a dar várias entrevistas depois que o seu diário virtual, intitulado «Caixa sem Futuro», superou a marca de 120.000 visitas.

O blog da jovem causou tanta repercussão que um jornal de Rennes a elegeu uma das bretãs de 2007.

Com um diploma universitário em Lingiística, Anna, de 28 anos, começou a escrever o diário virtual em Abril do ano passado.

À edição de hoje do jornal francês Le Journal du Dimanche, a jovem conta que gente de todo o tipo frequenta supermercados e que várias vezes ouviu mães dizendo aos filhos frases como «Estuda. Caso contrário, acabarás como esta mulher». No blog que criou, Anna narra os fatos marcantes do seu dia, que, embora nem sempre sejam divertidos, a transformaram numa espécie de embaixadora das 170.000 operadoras de caixas de supermercados que trabalham em França.

Numa ocasião, a francesa contou como chorou quando foi insultada por um cliente por não ter uma saco plástico à mão. Em outra, escreveu sobre a surpresa, fingida ou real, que algumas pessoas demonstram quando o alarme toca e um cliente leva as compras sem pagar.

Anna já foi procurada por um editor de Paris e admite-se a hipótese de vir a publicar um livro sobre as suas experiências.

06-01-2008 13:28:12

De Alexandrino Sousa a 09.01.2008 às 19:13

Caro Azevedo, obrigado pelos seus comentários. É sempre bom saber que do outro lado poderá estar a pessoa que compreende e quantas vezes nos incentiva a seguir em frente

De Sapatilhas Aquáticas a 09.01.2008 às 16:35

Estou emocionado.
Até as sapatilhas choram ao ler os teus poemas.
O meu sonho é fazeres um poema dedicado à minha pessoa.
Já sei que pensas que o meu futuro é num lagar a pisar uvas, mas não, estás enganado, ainda vou dar cartas ( não confundir com Listas Telefónicas, porque essa função já está ocupada ) .
Mas pensa nisso , um poema dedicado a mim !!
Titulo sugerido : " Eu tenho dois amores, em nada são iguais, é um filho de um gen... , o outro é um bom rapaz "
Pensa nisto ...

De Alexandrino Sousa a 09.01.2008 às 19:07

OK "sapatilhas", vou pensar e os versos que escrever vão te deixar corado. Acredita que imaginação (e assunto) não me falta

De Carlos Azevedo a 10.01.2008 às 13:27

Cada vez estou mais rejeitado. O sapatilhas não me quer , o meu pai dá-me com a espada no traseiro sempre que comporto mal , o bigodes só me enfia garruços . Já pensei em me colocar dentro da tina de rebentamentos,enfiar um tubo de ar comprimido no ...
Que vida a minha ... Necessito urgentemente de um poema. Prometo que se isso acontecer , deixo crescer outra vez o bigode e venho de mota com a camisa aberta , à motoqueiro.
Palavra de escuteiro.

Vou-te dar umas dicas para um próximo poema :

Poema : " Gota de água molhada "

No canto do meu divâ
Ouço os garruços do bigodes
Garruço a garruço, a entrar nos meus timpanos...
Fico a chorar
Caíndo na realidade
Garruço a garruço, a entrar nos meus timpanos...
Já perdi a excitação
Ora calmo, sem pressa...
Viagra vêm depressa
Garruço a garruço, a entrar nos meus timpanos...
Lá longe, bem longe, te esperando
Bigodes, meu amor
porque estás fugindo
Vêm ao filho do meu pai,
E cairás num mundo infindo...
Foste gota,
Foste fio,
Foste tio
Enfia-me mais um garruço ...


Caro Alex , lembra-te de mim.

De Alexandrino Sousa a 10.01.2008 às 22:14

Grande Azevedo, cada vez mais refinado...

Aqui vai a canção do bandido:

" rolha a rolha, bem os levo,
é o bicho, caleira, topo a abrir,
é tudo a fingir...
rolha a rolha bem os levo...
Chamam-me empregado do "pagador",
mas favor a favor,
é sempre a subir,
é sempre a abrir....
problemas de consciência??
mas eu só quero o bem
só quero que a coisa entre,
e no momento presente,
com saca rolhas tipo alfinete,
é vê-la a sair (a rolha claro)
- Rolha a rolha bem os levo"

De Scolari a 10.01.2008 às 16:25

E o Burro sou eu ?
Sapatilhas , Azevedos , Bigodes , e o Burro sou eu ?

Até eu sei fazer poemas.
Cá vai um dedicado ao Victor Baía :

Lá longe, bem longe, te esperando no banco de suplentes,
Está o estádio, rugindo,
Carrancudo, frio e velho, eu o Scolari,
Num ápice, te engolirá,
E cairás num mundo infindo... na SAD do Dragão !

E o Burro sou eu ?




De Alexandrino Sousa a 10.01.2008 às 21:59

Meu Caro Scolari,
quanta imaginação...
De burro o meu amigo não tem nada, e essa do suplente, hum...cheira-me que tem alguém em vista, não é verdade???
Mas também lhe vou dedicar um poema:
" Em terra de nabos
ser campeão é uma treta
assim, após as contagens,
sempre sobra alguma teta "

Comentar post