Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



versos de cor....

Segunda-feira, 22.10.12

 

 

sonhei correr pela planície rasa,

onde não há gente, não há nada,

e quanto mais corria, mais o sol ardia,

e eu apenas te procurava...

 

por entre o trigo que ao vento bulia,

uma flor em chama, uma papoila encarnada,

e duas vezes pensei, se deixava e não colhia,

ou se levava para minha amada.

 

e foram tantas as voltas dadas,

tão erradas foram as coordenadas,

que naquela planície, quase em fim de dia,

ninguém te viu, ninguém te conhecia...

 

voam os sonhos, de mil cores se vestem,

de mil cores se fantasiam até o amor chegar,

até o dia em que dois amores se sentem,

se conhecem, e toda uma vida para amar.

 

ai amor do céu, de constelação de estrelas,

estrela incólume, de todas a mais brilhante,

antes perdida, baloiçando, errante,

agora encontrada, bela entre as mais belas...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 21:49


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.