Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



malmequer.. bem-me-quer...

Domingo, 02.03.14

 

 

 

com a destreza do artesão,

com a sensibilidade do coração,

fiz uma flor, não uma qualquer,

mas um alegre malmequer

para usares dentro do peito...

 

se gostares, se for a teu jeito,

deita-lhe algumas gotas de perfume

para aliviar as palavras de azedume

ditas num momento sem tempo...

tu sabes... o vazio é um tormento...

 

malmequer, bem-me-quer, malmequer...

que importa, se longo e intenso é o prazer...

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 15:09


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.