Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



o canto das aves...

Quarta-feira, 02.12.20

ao espelho.jpg

tão belo e inocente o cantar das aves
nas árvores que cresceram comigo,
com cada amor inocente, que me fez perdido
e sem chão, onde o vazio é permanente.

qual a mensagem que não entendi,
qual o canto fatal onde voando, adormecia,
embebido pela sede do amor que inebria
e tudo faz esquecer, ou tudo perder?

tão belo e inocente o cantar das aves,
que felizes, não cuidaram dos incautos
que pulavam e cantavam, quais arautos
da felicidade eterna... triste fantasia.

olha-se ao espelho mais uma vez,
e foram tantas as vezes, que o espelho já esqueceu
das receitas de amor eterno que lhe deu,
e de nada adiantou... a vida é um espelho sem retorno...








Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 11:08


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.