Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


a carta que nunca escrevi...

Sexta-feira, 06.06.14

 

 

 

meu amor, amor que nem sei se existe,

faz tanto, tanto tempo que partiste,

que nem sei se algum dia te conheci...

 

por certo algures nos conhecemos,

por certo em muitos locais amor fizemos

e fomos felizes...senão, não escrevia para ti...

 

mas sabes, são tão poucos os momentos de lucidez,

que nem sei quando vejo a verdade em toda a embriaguez

que me toma, quando leio o que escrevi.

 

chamei-te de "amor" como te chamaria outro nome qualquer,

desde que teu nome fosse um lindo nome de mulher,

mas não, não me lembro se algum dia o proferi...

 

olha, só agora me dou conta (ah esta minha cabeça...)

que não sei tua morada, nem sei a quem peça

que te faça chegar a carta, que escrevo e em voz alta reli.

 

se não receberes noticias minhas, se a carta se extraviar,

nada perdeste, quando a escrevi, senti-me sonhar

num amor que nunca tive, mas algures na vida eu sei... eu o vivi....

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 22:57

o carteiro...

Sexta-feira, 14.06.13

 

 

não me lembro de ver o carteiro chegar,

nem da campainha da porta tocar,

ou a cadela sempre atenta, ladrar...

se o carteiro não chegou,

não há carta ou postal ilustrado,

ou um bilhete envolto em laço...perfumado.

não há noticias, um coração pintado,

ou lágrimas de cor, de que tudo acabou.

 

revejo o mail novamente

como se o carteiro dissesse "presente"

em cada entrada, em cada dia ausente.

mas já nada tem piada ou emoção,

nem os bonecos para cada ocasião

dão vida á "carta", quantas vezes era entregue em mão...

 

saudades do carteiro de minha rua,

mas também das "cartas" que por mensagem recebia,

que deixava transparente quem as escrevia,

fazendo com que, a cada noite, morresse nos braços da lua...

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 22:39

O Carteiro...

Sexta-feira, 07.10.11

 

 

Espero novas de meu amor,

quem sabe vai me escrever,

ou enviar um bilhete perfumado...

E o carteiro que demora a aparecer...

 

E senão receber novas de meu amor?

Talvez o correio se tenha extraviado,

ou...não, não...(sentimento de dor)

e se à costa deu outro amor?

 

Releio tuas cartas passadas,

(como ainda estão perfumadas...),

e admiro tua letra desenhada...

 

Tuas palavras meu amor,

não eram palavras de cor,

mas escritas pelo coração...

 

Meu amor, treme minha mão,

rolam lágrimas de emoção...

 

Espero novas tuas meu amor,

quem sabe não me vais escrever,

ou enviar um bilhete perfumado...

E o carteiro que deixou de aparecer...

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 21:42