Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Viagem ao Douro - 2010

Domingo, 05.09.10

 

O Douro tem sempre seu encanto...Mas nesta altura do ano em que tudo se prepara para as vindimas, mais se realça sua beleza.

E nem os 39.5 ºC nos afugentaram daquele local, onde o homem teima em deixar sua marca, suor e quantas vezes lágrimas...

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por Alexandrino Sousa às 16:55

PASSEIO AO DOURO

Sábado, 04.10.08

 

 

Já várias vezes tenho ido em passeio até a Régua, mas nunca tinha entrado nas quintas da empresa.

Hoje, em passeio de amigos, resolvemos ir até uma delas próximo do Pinhão. É certo que não acompanhamos a apanha das uvas, e portanto só seguimos o processo desde que chegam as uvas á adega, passando pela prensagem, pelos lagares, fermentação, etc

 

É um trabalho que não imaginamos existir sempre que á mesa despejamos o vinho nos copos. Mas é um trabalho duro...

 

Mas deixemos o trabalho e admiremos a paisagem envolvente. Espectacular...Quem se lembrou de elevar o Douro vinhateiro a Património Mundial, sabia o que estava a fazer. Realmente esta paisagem é digna de ser vista.

 

               

               

 

              

 

Para quem ainda não veio admirar esta paisagem, não sabe o que está a perder, no entanto se quiser também acompanhar as vindimas, se calhar é melhor guardar para o ano, porque já estão na reta final.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por Alexandrino Sousa às 21:34

RIO DOURO

Quinta-feira, 22.05.08

 

Desde sempre sonhei

do meu quarto te ver, ó MAR,

desde sempre admirei

tua força em cada onda,

tua destruição sem parar,

teu chamamento...

 

Mas os anos vão passando,

os sonhos se quebrando,

e outras maravilhas

outros encantos,

outros rumos de mil encantos

nos aparecem.

 

Como não te admirar Douro

sem fim??

Tu que és Rio com Vida, Ouro,

rude nos socalcos,

belo nos vales profundos,

e tão sereno na entrega ao Mar...

 

Por ti, um dia vou trocar

meus sonhos...

Por ti, por mim,

ao acordar,

janelas de par em par,

quero-te admirar,

e na tua paz

procurar meu sossego,

fechar os olhos, deixar-me levar

até onde o pensamento deixar...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Alexandrino Sousa às 14:23