Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


elos que se partem...

Quarta-feira, 16.07.14

 

 

tão frágeis os elos das correntes

que o tempo e o mar corroeram...

agora, livres das amarras,

voam os fantasmas pela cidade,

deserta, sem vivalma,

sem os gestos dos amantes...

 

triste a cidade, os objectos,

e os candeeiros da rua,

outrora almas cintilantes

mas que morreram de pé,

tal e qual estátuas, insignificantes...

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por inoutyou às 19:18